Manifestações “Populares” no Brasil

Nos últimos dias, o que mais se vê noticiar é acerca das manifestações “populares” em todo o Brasil.

A onda atual de protestos, teve surgimento com o Movimento Passe Livre, na cidade de São Paulo, que revoltou-se contra o reajuste das tarifas do transporte coletivo (ônibus, trens e metrô) em R$ 3,20, ou seja, R$ 0,20 a mais do valor anteriormente cobrado.

Na mesma esteira, os protestos se estenderam a outras capitais, como Rio de Janeiro e Porto Alegre, que igualmente estavam sofrendo processos de reajustes nas tarifas dos transportes.

Poucos dias após, surgiu uma nova onda de protestos, das quais os manifestantes demonstravam-se desfavoráveis aos gastos efetuados para a realização da copa do mundo, e consequentemente a copa das confederações no Brasil.

Tal protesto teve forte articulação inicial em Brasília, em virtude de ser a região administrativa do Distrito Federal que sediou o início da copa das confederações.

Os dois protestos foram rapidamente confundidos um no outro, facilmente pela população, pois a mídia se encarregou de tal atribuição. Feita tal miscelânea, os protestos ganharam uma enorme proporção, espalhando-se literalmente por todo o país, desde as maiores capitais até as mais pacatas povoações.

As manifestações, em separado, ou conjuntamente, são totalmente legítimas e devem ser garantidas pelo Estado.

Ocorre, que não há, em todos os protestos, uma pauta de reivindicações, tão pouco um movimento líder, o que acaba por gerar uma certa dificuldade na própria solução dos problemas trazidos pelas manifestações, uma vez que, em não existindo a figura de um líder, tal não poderá ser ouvido, com suas reivindicações e prováveis soluções, pelas autoridades competentes, fazendo com que esta muitas vezes, ignore o que vem sendo protestado.

Protestar sem saber a solução para o problema encontrado, e sem ao menos saber o que está se protestando, é tudo o que não precisamos!

Precisamos sim, de movimentos muito bem articulados, engajados na luta em que se propuseram a enfrentar, com lideranças a serem ouvidas, e propostas totalmente viáveis a serem postas em prática.

Um dos grandes lemas das manifestações é “O Brasil acordou”, ou  “O Gigante acordou”. Porém questiono: Por que o gigante estava dormindo? E por que o povo só agora resolveu acordar?

É um tanto estranho, que as manifestações contra os gastos da copa do mundo e da copa das confederações ocorram exatamente agora, quando a maioria dos estádios e obras estão em fase de conclusão. E ainda, justamente agora, um anos antes das eleições presidenciais!

Por que então, o mesmo povo que reclamou a vida toda, de os políticos aparecerem somente em vésperas de eleição, é o mesmo povo que aparece agora, através das manifestações, depois de um sono profundo, nas vésperas de uma eleição presidencial?

É de fato, de se causar muita estranheza!

Será mesmo que tais manifestações são populares, sendo que, salvo raras exceções, a grande maioria dos manifestantes é de classe média?

Enfim, os protestos tornaram-se a grande oportunidade para pessoas que nunca, sequer sabem o significado de movimento social, que levam a crer realmente, que tais pessoas estavam adormecidas em berço esplêndido.

Porém, em nenhum momento sou contra as manifestações que vêm ocorrendo em todo país. É salutar, igualmente, que pessoas que nunca tiveram nenhum interesse em política,  passem a ter. Sensato seria, que pessoas que possuem uma certa ignorância em relação aos protestos da qual estão inseridas, busquem o conhecimento.

Ainda, seria mais cômodo que os manifestantes não canalizassem a responsabilidade em apenas um órgão ou pessoa incumbida de um cargo público, como presidente, governador,  prefeito, etc. Pois isso, deslegitima a manifestação e torna público a falta de conhecimento estrutural e funcional do Estado, por parte dos integrantes de tal movimento, a partir do momento em que se atribui a responsabilidade ao presidente de um país o fato de leis serem mal elaboradas, ou ainda à impunidade em um certo caso específico.

Portanto, e apesar dos desvios(em todos os sentidos, políticos e sociológicos) que possam ocorrem, é de extrema importância o papel dos movimentos sociais na sociedade, devendo os mesmos terem voz e vez, garantindo-se seus direitos, porém tendo em vista sempre os princípios morais e éticos da sociedade e acima de tudo, a DEMOCRACIA!

About these ads
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s